OCLUSÃO E DTM

A oclusão dentária é a área da medicina dentária que, funcionalmente, relaciona os componentes da mastigação: dentes, gengivas, músculos, o esqueleto craniofacial, e as articulações temporomandibulares. Uma oclusão instável pode originar patologias articulares/musculares e comprometer funções necessárias, como falar e comer. Juntamente com os músculos mastigatórios, é a articulação temporomandibular (ATM), que permite os movimentos de abertura e fecho da boca.

Sinais e sintomas

  • Crepitações/Estalidos (ruídos) na articulação.
  • Dor articular ou muscular (na região da cabeça, pescoço, costas e ouvido).
  • Desgastes dentários.
  • Dor à mastigação (principalmente com alimentos duros).
  • Limitação da abertura da boca/ bloqueio na abertura ou fecho da boca.
  • Zumbidos nos ouvidos/vertigem.

Caraterísticas de uma má oclusão

  • Quando os maxilares (superior e inferior) não se relacionam corretamente, ou seja, quando não existe uma correta engrenagem esquelética.
  • Quando os dentes não se relacionam corretamente, ou seja, quando não existe uma correta engrenagem dentária; p.e (mordida cruzada, mordida aberta, apinhamentos…).
  • Quando a má oclusão é esquelética e dentária.

Uma má oclusão não significa à partida o desenvolvimento de uma disfunção temporomandibular, mas devemos estar cientes que pode ser um fator contributivo. Elementos psicossociais, como o stress e ansiedade, e parafunções como o bruxismo, também são fatores perpetuantes que contribuem para o desencadear de DTMs.

Geralmente o diagnóstico é feito através de um exame físico e de uma avaliação clínica. Importa realçar que as DTMs têm uma origem multifatorial e, portanto, podem requerer intervenções multidisciplinares para o seu tratamento. Desta forma pode ser benéfico reencaminhar o paciente para outras especialidades, tais como, a fisioterapia, a psicologia ou neurologia.

Na medicina dentária, também várias áreas podem ser recrutadas para um tratamento efetivo:

  • Ortodontia – correção das más oclusões.
  • Reabilitações orais com materiais restauradores ou protéticas – fixas/removíveis.
  • Goteiras interoclusais.

Perguntas Frequentes

Sentir dor no maxilar não é, automaticamente, sinónimo de disfunção temporomandibular. Contudo é um dos principais sintomas. Por isso, para que seja feito o diagnostico correto, é importante que consulte o seu médico numa consulta de oclusão, onde é feita a observação e exames complementares para determinar a causa exata da sua dor.

A disfunção temporomandibular não tem uma origem específica. É uma perturbação patológica que se pode desenvolver na presença de algumas condições, nomeadamente:

  • Inflamação da articulação temporomandibular por algum impacto ou trauma;
  • Bruxismo – ranger os dentes;
  • Alterações estruturais das superfícies ósseas;
  • Inflamação da articulação;
  • Stress, ansiedade e tensão muscular.

Diversos estudos relatam que a disfunção temporo mandibular pode estar relacionada com o aparecimento de dores de cabeça, nomeadamente dores tipo tensão que estão geralmente relacionadas com alterações musculares. Esta disfunção pode ainda funcionar como um gatilho para as enxaquecas.

Ter dentes tortos não significa que tenha problemas de oclusão obrigatoriamente. Contudo, o apanhamento dentário pode causar um desequilíbrio oclusal entre as arcadas e o ideal é ser observado por um especialista.

Pode ser um problema com origem na ATM visto que um dos sintomas de disfunção temporomandibular é a dor no maxilar e, muitas vezes pode ser confundida com dores de ouvido ou próximas dele.

Médicos Responsáveis

Marque uma consulta de avaliação com um dos nossos médicos especializados em Oclusão Dentária e fique a conhecer qual a melhor solução para o seu sorriso.

Agendar Consulta